[Mestrado] – Um estudo sobre a argumentação no RPG nas aulas de biologia

CAPA:

FUJI Roberto Shiniti - Um estudo sobre a argumentação do rpg nas aulas de biologia

 

Título: 

Um estudo sobre a argumentação no RPG nas aulas de biologia

Autor:

Roberto Shimiti Fujii

Categoria: 

Teses e Dissertações

Idioma: 

Português

Instituição:

[cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição

Instituição:

UFPR/EDUCAÇÃO

Área Conhecimento: 

EDUCAÇÃO

Nível: 

Mestrado

Ano da Tese: 

2010

Resumo: 

O presente trabalho é fruto de uma pesquisa de cunho qualitativo que visa a analisar a argumentação dos alunos do Ensino Médio e Superior num jogo de RPG envolvendo uma temática relacionada ao ensino de biologia. Desde Aristóteles houve um declínio dos estudos da argumentação por conta de trabalhos que a viam como despida de seriedade e descompromissada com a honestidade do discurso. Em meados do século XX; os filósofos Toulmin; Perelman e Olbrechts-Tyteca publicaram trabalhos que trouxeram os estudos sobre a argumentação novamente à ciência; como fundamentais para a construção do discurso. Por fim; na década de 70; van Eemeren e Grootendorst notaram a importância da teoria da argumentação como elemento pragmático e dialético indispensável no contexto social. Com bases nesses estudos; o olhar se voltou ao estado da arte na Educação. As pesquisas sobre a argumentação no Ensino de Ciências demonstram que a escola ainda não promove adequadamente o desenvolvimento da argumentação científica por desconhecimento do professor de sua importância dentro das disciplinas científicas. Por outro lado; se fez um levantamento sobre o jogo de interpretação de personagens (Role-playing Game ? RPG) historicamente e as conseqüências sobre o seu uso na Educação. Poucos trabalhos foram encontrados sobre o uso do RPG no ensino de ciências. Diante dessas perspectivas; foi aplicada uma aventura construída segundo as categorias de Vogler (1997); primeiramente em uma turma de 3º ano do Ensino Médio de uma escola da rede pública de ensino do Paraná e; depois; em uma turma de graduandos da Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná. Essa aventura é uma viagem no tempo; onde os personagens voltam acidentalmente para a Londres de 1928 e devem retornar para a época inicial. Nessa empreitada; impedem que Fleming descubra a penicilina e isso muda a linha do tempo. Os alunos devem decidir através da argumentação; consertar ou não as ações temporais. Ambas as aplicações foram gravadas em VHS e transcritas. Utilizando as condições da Teoria Pragmadialética de van Eemeren e Grootendorst (2004) para análise dos dados; concluímos que o jogo incentiva o desenvolvimento da argumentação a partir da fala dos participantes com hábitos culturais e sociais reconhecidamente maiores pelo grupo; os quais ganham autoridade para decidirem os rumos do enredo. Tal condição coloca o RPG como um jogo de cooperatividade relativa; pois os jogadores com maior autoridade podem se utilizar de técnicas persuasivas para obter a adesão dos demais jogadores para ações que não refletem; necessariamente; uma decisão coletiva.

Clique aqui para fazer o download.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *